Buscador

Limpar tudo

Escolha o destino

Tipo de Viaje

Selecione duração



Limpar tudo

Cultura e Festivais

Cultura e Festivais

Os cambojanos são muito fáceis de lidar, muito acolhedores e amigáveis, mas manter algumas coisas simples na mente ajudará a sua viagem e a sua interação com os locais.

Cultura

Os cambojanos são muito fáceis de lidar, muito acolhedores e amigáveis, mas manter algumas coisas simples na mente ajudará a sua viagem e a sua interação com os locais.

Cabeças e pés: Tais como os tailandeses, os cambojanos acreditam que a cabeça é a parte espiritual mais alta do corpo e os pés ficam ao contrário. Assim, nunca deve tocar uma pessoa na cabeça e ao contrário, pode usar os pés para caminhar e isso é tudo. Não aponte os pés para ninguém, nem durma com os pés apontados para ninguém e, definitivamente, não mantenha as portas abertas com os pés, ou não os aponte a um budista. Sempre que retire os sapatos antes de entrar em casas ou edifícios bonitos (pode-se notar pilha de sapatos lá fora).

Saudações: Para cumprimentar as pessoas ou para mostrar respeito, utilize o gesto tradicional 'sampeah', que é semelhante o da Tailândia 'wai' ou o do Nepal 'namaste'. Os cambojanos adoram trocar cartões de visita, até mesmo nos encontros simples. É muito divertido ter algo impresso antes da sua visita e distribuí-lo à vontade. Deixe os outros falar mais do que você e, por outro lado, se todo o mundo fizer isso, as conversações podem ser mais curtas!

ões: Não se sente com as pernas cruzadas, já que isso é considerado falta de educação. Vai ser um mal feito se não fecha as portas suavemente. Para dar algo a alguém, use somente a mão direita. Ao contrário, quando receber alguma coisa, fazê-lo com a mão direita, apoiando o cotovelo com a mão esquerda. Quando chamar alguém, o movimento da mão é para baixo. Se o movimento da mão é para cima, pode ter conotações sexuais. Quando terminar de usar os pauzinhos, coloque-os na parte superior do recipiente e não num ângulo do mesmo, desde que se assemelha a incenso para os mortos.

Corpo: Khmer é um grupo bastante conservador e não apreciam a pele nua, por isso, se você é uma mulher, não ande sem camisa (a menos que, com certeza, esteja numa praia) nem fique nua ou topless sob nenhuma circunstância. Durante a visita aos templos, verifique-se de cobrir os ombros e as pernas, significando que usa uma camisa longa ou uma camiseta e, preferivelmente, calças ou calções largas.

Feriados e Festivais

O Dia da Independência, 9 - comemora a independência do Camboja da França, em 1953. O Dia Internacional dos Direitos Humanos, 10 - em reconhecimento da adopção pela Assembleia Geral das Nações Unidas e a proclamação da Declaração Universal dos Direitos Humanos. A vitória desde o primeiro dia do Genocídio, 7 - comemora a derrota dos Khmeres Vermelhos em 1979 e o fim do seu governo. O ano novo chinês, dependendo do calendário lunar, não é um feriado oficial, mas é comemorado com entusiasmo. As datas exatas do ano novo variam a cada ano, dependendo da posição da lua. Meak Bochea, o dia da lua cheia - neste dia observa-se a comemoração do encontro espontâneo dos monges que foram ouvir os ensinamentos de Buda. Há mérito e as procissões de velas nos templos de todo o reino. A data varia a cada ano dependendo do calendário lunar. Chaul Chnam, em meados de abril - o maior festival do país em que as pessoas jogam água e pó de talco por pelo menos três dias. Prepare-se para se molhar e para ter muita diversão! Visaka Bochea, a 19 - Celebração do aniversário de Buda. Bon Om Tuk, no início de novembro - cerca 2 milhões de pessoas dirijam-se às margens do Rio Tonle Sap, em Phnom Penh, para celebrar o inverso na direção do rio poderoso. Além da parte central com corridas de barco, consumem-se muita comida e álcool.

Religião

90% dos cambojanos praticam o budismo Theravada, semelhante ao do seu vizinho tailandês. Antes do período de Angkor (século XII), o Hinduísmo floresceu com muitos de seus deuses e práticas que estão a ser tomados e incorporados em práticas budistas, os quais estão existentes em algumas das estátuas nos templos de Angkor.

Durante o regime do Khmer Vermelho (1975-1979), a religião foi proibida, muitos dos monges do país foram executados e, aproximadamente 3000 wats (templos) foram danificados ou destruídos. No final de 1980, o budismo tornou-se a religião oficial do estado, e os monges são mais uma vez um lugar comum.

Os muçulmanos representam uma pequena porcentagem da população, sendo originalmente do centro do Vietname. Eles também sofreram muito sob o Khmer Vermelho.

Nas áreas rurais de montanha alguns grupos tribais das montanhas praticam o animismo, uma força de união da comunidade, a terra e a água.

Os cristãos também têm uma pequena representação, muitos dos quais têm tido convertidos por missionários nos últimos anos, especialmente nos campos de refugiados ao longo da fronteira tailandesa.

Uma visita ao Camboja deslumbra os sentidos como os monges passeam com túnicas de cor de açafrão brilhante e a natureza tranquila do budismo permea os arredores.

NESTA SECÇÃO

Consultores

+84 4 3872 1873

+84 12 3883 1881

Suporte Online
Não foi possível encontrar viagem adequado para você? Vamos ajudá-lo

Sendo moradores, sabemos que o verdadeiro valor da nossa terra. Nós sempre ouvir e organizar tudo como o seu desejo. Por favor, por favor envie-nos tudo sobre a sua viagem, nós lhe enviaremos melhores ofertas rapidamente.